Ir para o conteúdo

Exposição “Tesouros da coleção Fundación MAPFRE - Obras sobre papel” chega ao Museu Lasar Segall

De 4 de julho a 28 de agosto, o Museu Lasar Segall/IBRAM-MinC recebe a exposição “Tesouros da coleção Fundación MAPFRE - Obras sobre papel”. A seleção de quase 60 obras de grandes artistas abrange o período do final do século 19 até meados do século 20, quando o desenho ainda vive sua dupla condição. Se por um lado é um meio criativo para a execução final de outras obras, ao mesmo tempo mostra sua independência, como arte plena e suficiente em si mesma.

As obras expostas fazem parte da “Coleção de Desenhos do século 20”, patrimônio da Fundación MAPFRE, que ficam no acervo na Espanha e já percorreram diversos museus de todo o mundo como Fundación Picasso (Málaga, 2001), Museo de Bellas Artes de Cuba (Havana, 2004), Instituto Cervantes de Nova York (2004-2005), Museo Nacional de Arte de México (2007), Bass Museum of Art de Miami (2008), Museo de Arte de El Salvador (2015), Museo de Bellas Artes de Sevilla (2015) e Musée d'Art Moderne de Troyes (França, 2017).

Uma vocação colecionista que cresce de ano em ano e, que desde 1997, é exibida como “Mestres espanhóis do século 20”e agora recebe o título de “Tesouros da coleção Fundación MAPFRE – Obras sobre papel”, com caráter marcadamente internacional.

“A exposição representa o compromisso da Fundación MAPFRE em promover o acesso à cultura, aproximando o público de diversos países a artistas que contribuíram para a transformação da sociedade”, afirma o presidente da MAPFRE no Brasil e Representante da Fundación MAPFRE, Wilson Toneto.

O acervo nasceu com o objetivo de ser uma coleção de desenho moderno espanhol. Neste sentido, a criação de um conjunto de obras centrado nas linguagens da vanguarda, que já pode ser considerada clássica, era um resultado natural da programação de exposições que, durante muito tempo, tiveram como foco central a arte espanhola do início do século 20. Nos últimos anos, os projetos expositivos se abriram a artistas ou períodos importantes no contexto mundial, o que levou a traçar uma reflexão em torno da construção da modernidade no panorama internacional. Essas mudanças também se produziram na coleção da obra sobre papel e podem se ver conferidas na mostra atual.

A exposição
O caminho da mostra começa com desenhos de artistas, como Edgar Degas, Auguste Rodin, Egon Schiele e Pablo Picasso, que estabeleceram as bases da arte do novo século 20, pois em 1900 começaram diversas transformações e um processo de renovação que culminaria diretamente no que hoje é conhecido como modernidade. Nessa trajetória a imagem da mulher cumpria um papel importante, de verdadeira protagonista desse universo. A visão tradicional, que entendia a arte como uma sucessão de movimentos, foi enriquecida com obras como as de Henri Matisse ou de George Grosz, que tornam evidentes o valor da obra de arte em si e a variedade da arte do século 20.

O cubismo promoveu uma transformação radical da linguagem pictórica. A Coleção da Fundación MAPFRE permite conhecer como isso se deu nos desenhos de Picasso, Juan Gris ou André Lhote. De forma quase paralela, artistas como Alexander Archipenko ou Kurt Schwitters se concentraram no espírito mais construtivo da pintura, tal como podemos ver no “Collage nº 2”ou na “Miniatura Merz”, esta última com expressão claramente dadaísta que se vincula de modo direto às obras de Francis Picabia. É preciso levar em conta que a influência do cubismo não se limita aos trabalhos considerados mais ortodoxos; percebe-se também em desenhos que não estão incluídos nesta tendência, mas que não a esquecem, por exemplo em Luis Fernández, Maruja Mallo e Rafael Barradas.

A presença privilegiada dos artistas espanhóis em Paris permitiu-lhes assistir em primeira mão à gestação do surrealismo, corrente à qual, por sua importância, foi dedicada uma especial atenção. Alguns dos pintores apresentados foram membros ativos do grupo e figuras essenciais do movimento. Esse é o caso de Salvador Dalí, Joan Miró, Luis Fernández e Óscar Domínguez, este último criador da decalcomania, técnica que se inscreve diretamente no círculo surrealista de Breton.

As relações entre França e Espanha se traduziram em forte expressão surrealista na Espanha, que se estenderia no tempo e que caminharia com outras manifestações até a década de 1950, pois seria completamente improcedente pensar na arte contemporânea como uma sucessão linear de estilos. Esta influência pode ser apreciada nos desenhos de Julio González e de Alberto Sánchez ou nas obras de caráter informal de Tàpies e de Chillida. A partir dos anos 1950, o limite entre os gêneros artísticos começou a se diluir em um universo criativo que mescla o desenho com a pintura, a escultura com a ação e a arquitetura. Um exemplo dessa atitude é oferecido pelo desenho de Eduardo Chillida, representado na exposição: é difícil estabelecer uma solução de continuidade entre escultura, relevo, colageme desenho, a textura e o cromatismo dos fragmentos de papel evocam qualidades visuais próprias do ferro e da madeira, mas o desenho se concretiza no branco do papel, por sua vez vazio diante de uma massa paradoxalmente plana. A concepção tradicional da mão que desenha foi substituída por uma mão que recorta, compõe, pega… A coleção foi conduzida a uma perspectiva diferente: longe do conceito tradicional de desenho, posicionando-a perante obras das quais o desenho participa.

SERVIÇO
Exposição: Tesouros da coleção Fundación MAPFRE - Obras sobre papel
De 4 de julho, a partir das 17h, a 28 de agosto
De quarta a segunda-feira, das 11h às 19h. Fechado às terças-feiras.
Endereço: Rua Berta, 111, Vila Mariana, São Paulo (SP)
Telefone: (11) 2159-0400

Visite o site do Museu Lasar Segall: www.museusegall.org.br

Ficha Técnica:
Edgar Degas
Deux danseuses [Duas bailarinas], c. 1890
Carvão e sanguina sobre papel-carbono
Coleções Fundação MAPFRE
Nº Inv. FM002030

Sobre a Fundación MAPFRE
Com sede na Espanha e atuação em 29 países, a Fundación MAPFRE é uma instituição sem fins lucrativos, que promove e investe em atividades de interesse geral da população. Para disseminar valores e cultura e contribuir com o bem-estar da sociedade, apoia e desenvolve iniciativas em cinco áreas de atuação: Ação Social; Cultura; Prevenção e Segurança Viária; Promoção da Saúde; Seguro e Previdência Social. Site: www.fundacionmapfre.com.br.

Mais informações para imprensa:

Fundación MAPFRE:
CDN Comunicação
Henrique Rodrigues | + 55 11 3653-2736 | henrique.alves@cdn.com.br
Ana Beatriz Paschoal | + 55 11 3643-2737 | anabeatriz.paschoal@cdn.com.br

Comunicação Museu Lasar Segall – IBRAM / MinC
Selene Cunha |+ 55 11 2159-0400 r.409 ou + 55 11 99478-9567 | selene@mls.gov.br

Voltar ao topo