Ir para o conteúdo

Dica sobre direção segura

MAPFRE Dicas Motorista Amigo

Para que haja uma direção sustentável, precisamos estar atentos as regras básicas para segurança do motorista, pedestre, veículos e carga. A MAPFRE disponibiliza aqui, algumas dicas para você manter uma boa segurança e prevenir contra acidentes.

A estrutura do veículo também tem grande importância para a segurança do Motorista. A Cabine é o local que, além da direção, serve de acomodação para o pernoite.

Estrutura do Caminhão

Mostrar tudo

Sua função é informar qualquer irregularidade no veículo. Por isso, mantenha-o sempre limpo e com todos os sensores funcionando corretamente. Fique atento às luzes que acenderem no painel: elas indicam possíveis problemas, a serem verificados conforme o manual do veículo.

Vale lembrar que o extintor continua obrigatório para caminhões. Sendo assim, o equipamento deve estar em perfeito funcionamento e dentro da validade.

Esta é outra parte fundamental da estrutura do veículo: há vários tipos de carroceria, e cada uma tem suas particularidades de conservação, que devem ser seguidas. Além de garantir a segurança, a manutenção da carroceria preserva o bem material e o instrumento de trabalho.

Conforme o art. 230 do CTB, “conduzir o veículo em mau estado de conservação, comprometendo a segurança, ou reprovado na avaliação de inspeção de segurança e de emissão de poluentes e ruído” é uma infração grave, cuja medida administrativa é a retenção do veículo para regularização.

Fora isso, a carroceria deve estar em perfeitas condições para a adequada acomodação da carga.

Iluminação e a sinalização são a forma de comunicação do motorista com os demais veículos e os pedestres, mostrando que realizará uma manobra ou ultrapassagem.

A manutenção é simples, porém fundamental. Realize frequentemente a inspeção visual e procure ter sempre lâmpadas reservas no veículo.

Atenção aos níveis dos fluidos: ao mantê-los no máximo, o motorista logo perceberá se surgir um vazamento, ainda mais se o defeito iniciar na estrada! Dessa forma, haverá tempo hábil para corrigir o problema.

E lembre que o sistema de freios possui ar além de fluidos. Assim, o sistema de ar do caminhão também deve ser checado com frequência.

Para cada tipo de carga existe a forma correta de acomodação nos veículos, garantindo a segurança durante o transporte.

Distribuição igual da carga: a carga deverá ser colocada do eixo traseiro para a frente, com igual distribuição sobre os eixos. Deve-se colocar a parte mais pesada no meio de forma a centrar o ponto de gravidade.

Nunca carregar de maneira desigual os lados da carroceria: o excesso de peso exigirá maior esforço da suspensão e dos pneus, provocando condições desiguais de frenagem, derrapagem e deformações no quadro do chassi.

Para cada tipo de carga existe um veículo adequado: cargas muito longas, como postes, tubos e toras, nunca deverão ser transportadas em caminhão sem as dimensões necessárias para tal carregamento. Isso poderá ocasionar má estabilidade do veículo e prováveis deformações no quadro do chassi.

  • Capacidade de frenagem

  • Distância de parada
  • Superaquecimento do sistema
  • Estabilidade do veículo

  • Reduz a estabilidade ao tombamento
  • Compromete a dirigibilidade
  • Danos ao pavimento e “pontes”

  • Caminhões com excesso de peso deixam “rastro” para acidentes acontecerem
  • Danos ao próprio veículo

  • Excesso de consumo de combutível
  • Desgaste de pneu
  • Problemas mecânicos

Além de proteger a carga das intempéries, a lona impede seu derramamento nas vias, prevenindo, assim, acidentes e danos a outros veículos e aos pedestres.

O Contran regulamentou o transporte de sólidos a granel por meio da res. 441/2013, constantemente fiscalizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A resolução vale para cereais, areia, minério, fertilizantes etc.

Atualmente, o transporte rodoviário de cargas brasileiro dispõe da res. 552 do Contran, que regulamenta a amarração de cargas, trazendo maior segurança ao motorista, ao veículo e à carga.

Em janeiro deste ano, passaram a vigorar algumas mudanças, sendo elas:

  • Não será mais permitida a utilização de cordas para amarrar a carga
  • Ficará exclusivamente para a lona de cobertura
  • Não será mais permitida a utilização de dispositivos de amarração em pontos constituídos de madeira, que estejam fixados na parte de madeira da carroceria.

Deverão ser utilizados cintas têxteis, correntes e cabos de aço com resistência total à ruptura por tração de, no mínimo, duas vezes o peso da carga. Já barras de contenção, trilhos, malhas, redes, calços, mantas de atrito, separadores, bloqueadores e protetores poderão ser utilizados como dispositivos adicionais.

Existe também uma nova regra para cargas indivisíveis em veículos do tipo prancha. Esse tipo de carga deverá contar com pelo menos quatro pontos de amarração por meio da utilização de correntes, cintas têxteis, cabos de aço ou a combinação desses tipos.

Outro ponto importante a ser destacado é que os dispositivos de amarração só poderão ser passados pelo lado externo da carroceria em veículos do tipo carga seca e quando a carga ocupar totalmente o espaço interno da carroceria.

Voltar ao topo