Ir para o conteúdo

Que situações o seguro residencial não cobre?

Existem algumas situações que o seguro residencial não vai cobrir, mesmo que ele seja muito completo. Os chamados “riscos excluídos” devem estar descritos no contrato. Conheça as principais situações:

Tipos de situações que não são cobertas pelo seguro residencial

Exceto em casos especiais, quando a cobertura estiver escrita na apólice, os seguros residenciais não cobrem:
  • Necessidade de recomposição de trabalhos artísticos que gerem despesas. Também não são cobertas necessidades de reparo na decoração, pinturas, gravações e inscrições em vidros;
  • Atos praticados por ação ou omissão do segurado, classificados como má-fé;
  • Atos de terrorismo;
  • Problemas resultantes de algum fenômeno da natureza como, por exemplo, erupções vulcânicas, alagamentos, enchentes por água de chuva, entre outros;
  • Atos de autoridade pública;
  • Atos de vandalismo;
  • Desmoronamento da casa ou outro tipo de imóvel, mesmo que seja consequente de um deslizamento de terra;
  • Umidade, ferrugem, infiltrações, problemas com chuva dentro de casa, qualquer tipo de corrosão, mesmo as causadas por problemas ambientais; areia e terra dentro de casa, mesmo que tenha entrado pela janela, portas ou de outra forma;
  • Danos causados durante a construção também não são cobertos. Além disso, não fazem parte da cobertura do seguro a realização de obra, mesmo que seja referente a instalações e montagens. Contudo, serão aceitas as realizações de pequenos trabalhos de manutenção, desde que o valor total gasto não ultrapasse 5% da quantia da indenização;
  • Danos causados ao imóvel enquanto ele não está sendo habitado;
  • Atos ilícitos dolosos, que sejam praticados pelo contratante ou qualquer outra pessoa;
  • Transbordamento de água vinda de equipamentos, aparelhos e torneiras que estejam no imóvel segurado ou de terceiros;
  • Dano consequente de exercício do trabalho do contratante, que tenha sido feito em casa, exceto quando isso está informado na apólice;
Os seguros residenciais também não cobrem problemas em itens que estão na garagem; causados por animais de estimação, problemas em jardins; erros em alicerces ou fundações; objetos de terceiros, exceto quando o imóvel estiver alugado e haja como comprovar isso por meio de documentos. Não será dada cobertura para construções, cujo ¼ da estrutura seja baseada em material combustível - exceto quando a construção é de madeira. Quando a casa fica desocupada por mais de 30 dias, o seguro também deixa de valer. Também são excluídos da cobertura moradias coletivas e itens existentes em residências em zona rural destinados à produção rural. Também não são cobertos desenhos, plantas, projetos, itens de informática, nem o reparo de danos a armas ou munições, sejam elas quais forem. O seguro não cobre dinheiro que, por ventura, possa estar guardado em casa, seja ele em moeda, título de crédito ou cheque. Também é importante saber que o seguro residencial não se aplica a casas de contêineres e contêineres habitacionais, nem para medicamentos, alimentos, hidratantes, colônias ou outros tipos de cosméticos. Nesse último caso, há uma exceção para quando esse tipo de bem estiver ligado ao serviço do segurado, quando a pessoa tiver cobertura diferenciada de pequeno empreendedor para cobrir os bens de trabalho.

As coberturas mais comuns no seguro residencial

O seguro residencial tem como coberturas básicas:
  • Incêndio de qualquer natureza;
  • Queda de raio dentro da área do local segurado;
  • Explosão, independente da origem;
  • Queda de aeronaves;
  • Fumaça.
É importante que você saiba que, embora a cobertura básica do plano residencial seja limitada, é possível adicionar coberturas, de acordo com a sua necessidade. Uma delas, que é muito interessante, é a cobertura de responsabilidade civil familiar. Ela cobre algumas lesões causadas a terceiros pelo segurado, seu cônjuge ou dependentes. Também cobre danos causados pelos animais de estimação. Vamos supor que a pessoa tem um animal de grande porte e, um dia, o pet está sozinho em casa e consegue pular o muro para a casa do vizinho. Ao chegar lá, encontra a casa vazia e destrói alguns móveis da área externa, bem como roupas que encontrou no varal. O dono do cão terá que pagar todo o estrago. Se ele tiver a cobertura de responsabilidade civil familiar incluída em seu seguro residencial, poderá receber o valor gasto, dentro do teto máximo acordado na apólice Contrate já o seu seguro residencial na Mapfre! Ele começa a valer a partir da 24ª hora contada a partir da data especificada na apólice de seguro. É possível incluir coberturas opcionais e diferenciadas.
Voltar ao topo