Ir para o conteúdo

Como garantir a segurança das instalações elétricas da sua residência

A vida moderna é muito dependente da eletricidade, por esse motivo é fundamental que as instalações elétricas da sua casa estejam bem dimensionadas e protegidas. Dessa forma, são evitados contratempos, como quedas de energia, choques e até mesmo incêndios provocados por superaquecimento de fiação.

O seguro residencial MAPFRE reuniu orientações para que você zele pela segurança das instalações elétricas da sua residência. Para isso, vale conhecer alguns itens e conceitos importantes:

Levantamento das potências: no momento da construção da sua casa, foi feita uma previsão das cargas elétricas necessárias para manter a iluminação e abastecer as tomadas que permitem o funcionamento dos eletrodomésticos. Se, com o passar dos anos, a quantidade de aparelhos cresceu – conte chuveiro elétrico, torneira elétrica, forno elétrico, computadores e televisores, entre outros – é importante revisar essa capacidade. Consulte um eletricista para fazer um inventário do que há na sua casa atualmente, identificando se o que foi acrescentado ao longo do tempo alterou a demanda total da residência.

Tomadas de uso geral: cada ambiente da casa, seja banheiro, cozinha, copa, área de serviço, lavanderia, quartos e salas, precisam ter tomadas permanentemente livres para usos de eletroeletrônicos móveis, tais como carregadores de celulares, aspiradores de pó, furadeiras, secadores de cabelo e outros portáteis. Não use conectores tipo “benjamim” para compartilhar a tomada.

Tomadas de uso específico: aparelhos que demandam muita potência precisam ser fixados em um lugar apropriado, com tomadas exclusivas e, às vezes, até mesmo de formato e padrão específicos. É o caso de chuveiro, secadora de roupas, lavadora de pratos e microondas, que não devem compartilhar o ponto de tomada com outros equipamentos. Isso quer dizer que colocar conectores tipo “benjamim” é proibido. Uma dica bem específica: a ligação dos aquecedores elétricos de água deve ser feita diretamente no ponto de utilização.

Choques elétricos: o contato acidental com a rede elétrica, seja por falha de isolamento, por ruptura ou remoção indevida de partes isolantes, é perigoso. É prudente verificar se há risco de contato entre uma pessoa e uma parte metálica de uma instalação ou componente que possa estar energizado.

Quadro de distribuição: ele é o centro de distribuição de toda a instalação elétrica de uma residência, de onde partem os circuitos que vão alimentar diretamente as lâmpadas, os pontos de tomadas e os aparelhos elétricos. Nunca mexa no quadro da sua casa! Há risco de tomar choque ou de queimar algum aparelho, por isso sempre consulte um eletricista experiente. Se morar em um prédio, também é importante informar a administração do condomínio para fornecer a documentação necessária. Atualmente tem sido recomendada a modernização dos quadros com DR (disjuntor diferencial residual), que deve ser instalado por um especialista com a finalidade de aumentar a proteção.

Sobrecarga elétrica: Quando um disjuntor ou fusível desliga algum circuito elétrico, não se limite a reestabelecer a energia da casa. É mais seguro consultar um eletricista para investigar a causa da interrupção. O motivo pode ser um curto-circuito, com risco de iniciar um incêndio, por exemplo. Em geral, desligamentos frequentes são sinal de sobrecarga e a recomendação é revisar a capacidade de todo o sistema.

Na contratação de um seguro residencial, além da cobertura principal, que engloba danos por incêndio, queda de raios e explosão decorrente de gás de cozinha e suas consequências, o segurado pode optar por inserir inúmeras outras proteções específicas, como danos elétricos, impacto de veículos e aeronaves, vendaval, responsabilidade civil e familiar, home office e quebra de vidro, entre outros riscos, cobradas à parte.

Além disso, você também conta com a assistência emergencial para vários serviços, como encanador, desentupimento, chaveiro, eletricista e conserto de eletrodomésticos.

Saiba mais sobre o seguro residencial MAPFRE.

Voltar ao topo